Inspiração para escritor #2

Dezembro 15, 2015

tumblr_mco5g23X5H1r7v2ryo1_500

“Morte por Clarence E. Flynn

 

Por que você me teme?
Eu sou seu amigo.
Eu guio os viajantes alienados
Levando-os para a liberdade
Do tempos e da idade,
Ajudando-os a começar a escrever
uma nova página

Nunca procure por mim,
Mantenha o seu curso verdadeiro
Quando eu for necessário
Eu virei até você,
E então eu vou lhe mostrar
Estradas sem fim

Por que você me teme?

Eu sou seu amigo.”

 

Fonte: Lady Marlene

 

 

Vida de Escritor #9

Julho 16, 2015

 

Um escritor naqueles dias.

ga150126

 

“Ok…

Há uma razão para tudo…

Por que eu acordei?” – Jim Davis, Go Comics

Sim. 🙂

fd1c83fe2941b5f20eb30fa11916ab7f

 

“Tenha um espaço em seu coração para o inimaginável.” – Mary Oliver

 

Fonte: QuotesWave

One soul / Uma alma

Dezembro 30, 2014

 

Uma boa pergunta. Questionno

 

“Por que é que nós acreditamos que nós só temos uma alma?” – Richard Siken

 

Fonte: PonderAbout

Steven – O Quarto Mundo

Outubro 11, 2014

Steven nasceu em uma comunidade pequena onde a maioria das pessoas eram agricultores.

Ele nunca conheceu seu pai, foi criado pela mãe, a quem ele ficou muito próximo e pelo tio paterno, que nunca explicou a ausência do pai de Steven. Mais tarde, ele descobriu que seu pai fugiu assim que soube da gravidez e nunca mais deu notícias, seu tio por achar que era seu dever, sempre ajudou sua mãe. Com muito suor da parte dos dois, eles conseguiram enviar Steven para a cidade e para a Faculdade de Medicina.

Por pertencer a uma classe social mais baixa do que a maioria que estudava ali, Steven não tinha tantos amigos da faculdade, mas os professores gostavam da sua dedicação, por isso ficou mais amigos deles do que daqueles da sua idade.

Conseguiu se tornar um médico exemplar, mais voltado a fazer experiências para descobrir curas para doenças que até então não tinham remédio.

Conheceu Justine em um museu, quando fazia uma viagem para o exterior, e eles se casaram um ano depois.

Infelizmente, a felicidade dos dois durou apenas dois anos, pois ela contraiu uma doença fatal que parecia não haver nenhum tratamento. Steven passou a dedicar todo o seu tempo para achar um modo de curá-la. No começo ele dividia seu tempo entre cuidar dela e fazer suas experiências, mas conforme o tempo foi passando, ela só piorava, ele contratou uma enfermeira para ficar com ela e passava quase todo o seu tempo no seu laboratório entre frascos, livros, ervas e químicas. Para conseguir ficar acordado por mais tempo, ele começou a tomar drogas e já era difícil saber qual dos dois estava em pior condição.

Tudo o que ele achava que podia funcionar, ele lhe dava, e ela tomava, pois  não queria morrer e estava disposta a provar tudo o que lhe fosse oferecido.

Após dois meses dessa rotina, Steven começou a ter a impressão de que o que ele lhe dava só piorava ainda mais a situação. A doença estava evoluindo mais rapidamente do que nos outros pacientes e em pouco tempo ela morreu enquanto Steven estava no seu laboratório.

A morte de Justine foi arrebatadora. Steven não conseguia se perdoar, achava que ele só piorou as coisas, que ele a matara e ainda mais pelo fato de não ter aproveitado o pouco tempo que tinha ao seu lado. Sem conseguir ficar naquela casa, ele voltou para a casa da mãe.

Sua mãe e seu tio lhe encheram de cuidados e tentaram fazer com que ele visse aquilo como uma coisa natural do ciclo da vida, mas Steven não conseguia aceitar e para piorar seu corpo queria mais das drogas que tomava para ficar acordado. Com tudo isso, ele achou que talvez fosse melhor ir para bem longe.

Foi então que se alistou para ser médico de um navio de guerra. Pouco depois de se alistar, ele foi chamado.

A despedida foi triste. Sua mãe só chorava e seu tio se despediu dizendo que preferiria que ele estivesse fazendo aquilo pela sua pátria e não para fugir dos seus problemas, mas Steven estava decidido.

No navio, a única pessoa de quem ele ficou mais amigo foi de Richard. Os outros gostavam dele, afinal, ele tinha a solução para as suas dores, mas não conversavam com ele como Richard. Seu corpo ainda queria a droga, mas estando ali acabou por se acostumar a ficar sem. Justine, porém, era outro tipo de problema. Ainda tinha pesadelos e precisava manter a cabeça constantemente ocupada com algo para não pensar nela.

E então, certo dia, o navio pirata veio…

 

(Steven é um personagem do meu livro O Quarto Mundo, para saber mais sobre o livro clique aqui.)

Abracadabra

Setembro 2, 2014

 

Interessante.

abracadabra

 

Abracadabra é usada como uma palavra mágica em feitiços de truques de mágica. Historicamente se acreditava ter poderes de cura quando inscrita em um amuleto. Acredita-se que a palavra se origina do idioma aramaico, mas várias e conflitantes etimologias populares estão associadas à ela. Muitos consideram que a palavra ‘Abracadabra” é na verdade uma frase hebraica que significa ‘Eu crio (A’bra) o que (ca) eu falo (dab’ra).'”
Wikipedia

 

Fonte: PonderAbout

Pessoaaaal!!! O lançamento do meu novo livro “O Quarto Mundo” vai ser na Bienal, dia 23/08 às 19h. Espero todo mundo lá!!!

 

IMG_20140805_164508[1]

 

Vou colocar a sinopse do livro aqui.

“Em um mundo onde os homens não estão vivos, nem mortos, os Deuses dão aos sermérios a Pedra do Destino, que determina quem volta à vida e quem deve morrer. Porém, quando Grant se torna o rei dos sermérios, decide esconder a Pedra do Destino. Em meio a uma batalha em alto mar – da marinha contra os piratas – Steven, o médico da tripulação, dois de seus companheiros, Richard e Hubert, e um dos piratas, Thomas, se afastam do combate em um pequeno barco e avistam a luz de um farol, habitado por uma mulher misteriosa chamada Virgínia. Ela oferece a eles o mapa de um mundo que eles nunca haviam visto e que os conduzirá por uma aventura cheia de mistérios e perigos.”