Tanek e Christa

Agosto 27, 2013

Tanek era o pai de Brianna.

Quando Christa se mudou para o Vale do Rubi, Tanek logo sentiu que ela era diferente. Não era como ele e seus clientes, mas também não era humana. Era algo maior e por isso foi falar com ela. Ele só queria saber quem ela era e o que estava fazendo ali, pois não queria problemas.

Ela o recebeu na sua casa e, visto que já começava seu trabalho em controlar a mente de todos que ali viviam, tentou fazer o mesmo com ele e falhou. Sem outra escolha, o convidou para entrar.  Ele perguntou quem ela era e o que fazia ali. Christa quis saber a mesma coisa e os dois abriram o jogo. Só restava saber o que faziam ali. Tanek deixou de fora o que Brianna fez e só disse que queria levar uma vida normal com a filha. Christa percebeu que tinha duas opções visto que não podia controlar sua mente: dizer a verdade ou matá-lo para evitar que colocasse tudo a perder, mas ela tinha consciência de que não era fácil matar um demônio daquela estirpe. Sendo assim, achou que eles podiam entrar em um acordo. Ela lhe explicou o que estava fazendo e o que pretendia fazer. Quando ela terminou, a única coisa que ele quis saber foi o que ela faria depois de destruir os Deuses. Christa respondeu que ele não tinha nada com que se preocupar, que ela governaria o mundo de forma mais justa do que os Deuses jamais fizeram. Tanek nunca acreditou naquilo, mas visto que ela não era uma ameaça iminente, ele se tranquilizou e propôs que cada um cuidasse da própria vida sem interferir na vida do outro. E ele foi ainda mais categórico ao dizer que queria que ela ficasse longe dos seus clientes e ele faria com que seus clientes ficassem longe de suas meninas, com o resto da cidade ela podia fazer o que bem entendesse. O acordo foi feito com a ressalva que se algum cliente de Tanek se aproximasse de suas meninas, ela teria o direito de fazer o que quisesse com o dito-cujo. Christa imaginava muito bem que tipo de cliente ele devia ter e não podia arriscar. Tanek aceitou.

Ele voltou ao pub e contou tudo a Brianna, eles colocaram um aviso em todos os quartos que dizia para que ficassem longe da Ilha dos Cisnes. Quando Jamal veio trabalhar para ele, foi a primeira regra que ele lhe disse e, tirando poucas vezes, seus hóspedes seguiram o aviso e quando não obedeceram não havia nada que ele pudesse fazer.

Mas, certa vez, ocorreu algo diferente. Antes que Jamal fosse trabalhar para eles, Tanek hospedou um druida.  O homem fazia muitas perguntas e parecia ter intenção de ficar ali por tempo indefinido. Um dia uma das meninas de Christa foi bater na porta do pub, coisa que nunca havia acontecido. Ela pediu que Tanek a acompanhasse, pois Christa precisava falar com ele com urgência.

Ao encontrar a Valquíria, Tanek percebeu que havia algo errado. A mulher andava de um lado para o outro e suas mãos não paravam de se mexer. Christa lhe contou que o druida esteve no cemitério e perguntou se ele sabia o que o homem estava querendo ali, Tanek disse que nunca se envolvia com os assuntos dos seus hóspedes. Christa continuou dizendo que ele desenterrou corpos no cemitério. Ela havia enviado uma de suas meninas para averiguar, perdeu toda a ligação psíquica que havia com ela e a menina desapareceu. Christa tinha certeza que ele a matara e isso era o que a perturbava. Suas meninas eram treinadas para lutar contra Deuses. Como ele conseguiu matá-la?

Tanek respondeu que talvez fosse melhor deixá-lo fazer o que quer que estivesse fazendo e ele iria embora quando acabasse, mas Christa não se convenceu. Queria saber de qualquer jeito o que ele estava fazendo ali. Tanek logo entendeu do que aquilo se tratava, ela tinha medo de que ele estava ali por causa dela.

O demônio deu risada e falou o que pensava acrescentando que ele não iria entrar em um briga para ajudá-la na sua cruzada. Christa não negou a sua preocupação, mas disse que ele também deveria se preocupar, afinal, estava dormindo debaixo do mesmo teto que sua filha. Foi o suficiente para fazer Tanek repensar o assunto. Eles planejaram seguir o druida naquela noite.

Assim que o homem saiu do pub, Tanek ligou para Christa, ele o seguiu e ela o encontrou no meio do caminho. Como ela havia dito, ele foi para o cemitério. Começou a cavar uma das sepulturas, que pareceu ter sido escolhida aleatoriamente. A ideia inicial era, primeiro observar o que ele iria fazer com o corpo que encontrasse, para depois tomar alguma atitude, porém, paciência não era a virtude de nenhum dos dois e o druida cavava com muita dificuldade. Tanek se transformou e saltou em cima do homem que caiu estupefato com aquele ser demoníaco em cima dele. Christa apareceu logo em seguida perguntando o que ele estava fazendo ali. O druida assustado balbuciou coisas sem sentido. Ela perguntou mais uma vez e dessa vez acrescentou onde estava a menina. Ele enrugou a testa e respondeu freneticamente que não sabia. Christa perguntou como ele a havia matado. A resposta foi tão simples que ela se sentiu uma tola por ter se preocupado. Ele jogara uma esfera com um vapor que fez a mente da menina ficar confusa, por isso Christa perdeu o contato e foi o tempo suficiente para ele matá-la e enterrá-la junto com um dos corpos que desenterrara. O ódio de Christa a invadiu e ela lhe deu um chute no rosto enquanto perguntava por que desenterrar corpos e enterrá-los novamente. Ele respondeu que estava a procura de um baú, um baú que deveria conter a alma de uma Valquíria. Tanek e Christa se olharam. A intuição dela estava certa, ele sabia. Ela perguntou o que ele faria com o baú caso encontrasse, ele respondeu que ainda não sabia, mas poderia vir a calhar possuir tal objeto. Christa ordenou que Tanek o matasse, mas ele não o fez. Voltou a sua forma humana dizendo que ela podia matá-lo com suas próprias mãos. Ele saiu de cima do druida deixando-o desesperado e ela enfuriada. O homem mal teve tempo de se sentar e teve seu pescoço quebrado pelas mãos de Christa. Ela correu atrás de Tanek, o pegou pelo braço com força e perguntou se ele não estava do seu lado.

Ele riu.

Respondeu dizendo que nunca estivera do seu lado, que eles tinham um acordo, mas não iria matar por ela e principalmente, não iria obedecer ordens como suas meninas faziam. Aquilo foi o suficiente para despertar em Christa algo há muito adormecido. Ela segurou seu rosto e o beijou.

Após aquela noite eles se encontravam com frequência, sempre na sua casa. Brianna nunca soube.

Frequentando a casa de Christa ele aprendeu que suas meninas nunca se prostituíram, não de verdade. Os homens iam lá, não faziam absolutamente nada, deixavam mundos de dinheiro e saiam achando que tinham feito tudo. Isso divertia todas elas.

Tanek chegou a perguntar por que ela não desistia daquela missão por vingança para ficar ali, mas ela estava obstinada e mesmo se uma parte quisesse se render ao novo sentimento, outra, mais forte, não conseguia esquecer o que os Deuses fizeram contra ela. Não. Eles pagariam, todos eles.

Antes de Tanek fazer a viagem que o levou a morte, ele pediu a Christa para prometer que nunca faria mal a Brianna e ela prometeu. Quando ele morreu, ela chorou sem ninguém saber e todos os dias levava uma margarida ao seu túmulo, até o dia que descobriu Carlos.

(Esses são personagens do livro C.S. que você pode comprar aqui).

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: